A sua felicidade precisa depender apenas de você.

Atualizado: 25 de Jun de 2019


A sua felicidade precisa depender apenas de você. A partir do momento em que nascemos, estamos nos relacionando com o meio. Isso significa que, a todo momento, sofremos interferências do externo em nossas vidas. Algumas delas atuam diretamente em nós e outras passam "ao lado", mas nos atingem de alguma maneira. Dito isso, será que é possível sermos responsáveis cem por cento sobre a nossa felicidade, sem que o outro também tenha uma responsabilidade sobre ela?


Antes, vamos entender o que é a felicidade? Felicidade não é ausência de sofrimento, e sim a capacidade que temos de passar pelas dores da vida, tendo resiliência e permanecendo bem apesar de. A tristeza, a alegria, a angústia, a ansiedade, o medo são emoções. A felicidade é um sentimento, não uma emoção, visto que esta é passageira, vem e vai a todo momento. Você já parou para observar por quantas emoções você passa em um único dia? Diferente das emoções, os sentimentos não são passageiros. Permanecem por mais tempo e não oscilam tanto. Este é o ponto: a felicidade é um sentimento, e não uma emoção. Um ótimo exemplo é ter o sentimento de amor por uma pessoa, mas, em um dia ou outro, estar com raiva dela. Você pode ser feliz em seu trabalho, mas ter uma semana pesada, que te gera um pouco mais de ansiedade.


Quando escrevo que a felicidade precisa depender apenas de você e jamais de alguém, quero dizer que você precisa ser capaz, sozinho, de fazer boas escolhas na vida, compreender as suas emoções e ter resiliência para superar os desafios que são impostos pelo meio. Isso quer dizer que, se você está em um relacionamento em que a outra pessoa tem um comportamento difícil a ponto de te causar tristeza (lembrando que o oposto da tristeza é a alegria e não a felicidade), é você quem precisa escolher se vale a pena continuar essa relação ou se é melhor encerrar. A dependência de que o outro te faça feliz seria estar em um relacionamento tóxico e ficar esperando, por não sei quanto tempo, que a outra pessoa modifique seu próprio comportamento e, a partir dessa mudança, te faça feliz. No entanto, isso não quer dizer que você seria feliz. Pode existir a possibilidade do outro tentar, de todas as maneiras, te fazer feliz e nada do que faça seja o suficiente (teria que escrever outro texto para elaborar melhor essa possibilidade). A segunda opção te colocaria na posição de refém, aquele que se sente impotente diante de uma situação, aguardando que o outro tome uma atitude para libertá-lo de uma dor.


Pensar sobre a autorresponsabilização em relação à felicidade é fundamental para que se tenha consciência de que você é capaz de tomar decisões em sua vida que gerem resultados a seu favor, em prol do seu bem-estar e tornando a sua vida mais feliz a cada dia!


Tatiana Auler

Psicóloga

CRP 05/56969