Aprenda o limite entre ser flexível e ser rígido.


É comum escutarmos: Fulano é mole demais ou fulano é muito duro, muito rígido! Mas qual é o limite entre esses dois extremos?


Se pensarmos em relação à personalidade, algumas pessoas têm uma postura na vida mais flexível e outras, mais rígida. Isso não quer dizer que o flexível não possa ser rígido e o rígido não possa ser flexível, de vez em quando.


Nas duas formas de ser, é possível encontrar o equilíbrio, dependendo da situação que a pessoa esteja vivendo. Diria que o flexível tem dificuldade em dizer não e o rígido diz não fácil demais. Dizer sim ou não pode estar tão no automático que a pessoa não para para pensar se realmente é isso que deseja falar, se é dessa forma que quer agir.


Quando falo em dizer sim ou não, não é, necessariamente, utilizar essas duas palavras, é, também, concordar para não gerar conflitos ou discordar em uma conversa, mantendo a própria opinião como absoluta sem margem para ouvir a opinião do outro.


Tanto os sins como os nãos podem estar sendo utilizados como mecanismos de defesa. Porém, para falar melhor sobre o que é mecanismo de defesa, precisaremos de um outro texto.


O importante é observar se você está agindo por impulso, no automático ou se está pensando sobre o assunto e dando uma resposta coerente com seu pensamento e sua emoção.


DICA DA TATI

#Dicadatati


Vamos fazer uma breve reflexão sobre como você funciona:


1. Quais das duas palavras você se observa falando com mais frequência?


> Sim ou Não

> Concordo ou Discordo

> Está certo ou Está errado

> Aceito ou Não aceito


Se percebe que tem um equilíbrio entre as duas possibilidades das palavras, Maravilha! Você está no caminho do meio.


Caso se perceba falando mais um grupo de palavras do que o outro, o exercício é:


2. No dia a dia, em cada experiência que estiver vivendo, quando disser uma dessas palavras, pare e observe se era isso mesmo que queria dizer. "Ouça" por alguns instantes sua mente e sua emoção. Tente, através de um diálogo interno, entrar em um acordo que seja bom para você e para o outro.


Tatiana Auler

Terapeuta


55 visualizações0 comentário