EM QUAL EMOÇÃO VOCÊ ESTÁ VICIADO?




Em nosso dia a dia, experimentamos diversas emoções, mas sempre tem uma que acaba sendo predominante. Você saberia dizer qual é a emoção que predomina em você? Raiva, medo, tristeza, angústia, ansiedade, culpa, tranquilidade, alegria… São muitas as emoções presentes "dentro" da gente, mas sempre tem aquela com que nos familiarizamos mais.


O problema em ter uma emoção desestruturante predominando em seu dia a dia é que toda experiência será contaminada por ela. Ou seja, se a sua emoção predominante for a culpa, provavelmente, em qualquer situação, você se sentirá responsável por fazer tudo funcionar para não se sentir culpado, e/ou, caso a situação não funcione da maneira que você espera, provavelmente vai se culpar, pensando que poderia ter feito algo além ou não ter feito uma determinada coisa para que a situação tivesse um desfecho melhor.


Agarrar-se a uma emoção desestruturante pode ser um hábito na forma de enxergar o mundo e certamente uma consequência das suas experiências primárias. Se você puder, ao menos por um minuto, lembrar quando foi a primeira vez que sentiu a emoção que predomina até hoje em você (não que, de fato tenha sido a primeira vez que sentiu a emoção, mas que provavelmente foi o momento em que ela fixou em você) pode ser que consiga se libertar da intensidade que ela ocupa dentro de você.

Em algum momento da sua vida, você ficou identificado com essa emoção: "Eu sou culpado", "Eu sou ansioso", "Eu sou triste"….. Só que emoções vêm e vão a todo momento, e os sentimentos permanecem por mais tempo. A diferença entre as emoções e os sentimentos é exatamente esta: as emoções são momentâneas e os sentimentos permanecem por mais tempo, por serem fruto de uma elaboração racional.


Desidentificar-se de uma identidade emocional fará com que você usufrua de uma nova realidade em sua vida. Você passará a perceber as situações sem estar tão contaminado por uma emoção. Isso não significa que nunca mais sentirá aquela emoção, mas que a sentirá em uma intensidade mais confortável e menos desestruturante para você.


Tatiana Auler

Psicóloga

CRP 05/56969