Escolha o que é melhor para você!


Parece fácil quando alguém fala: “Escolha o que for melhor para você.” Mas não é fácil, porque escolher não é uma tarefa simples.

Tem gente que empaca até para escolher o sabor do sorvete, sabia? A maior dificuldade em escolher é saber abrir mão. Mesmo havendo apenas uma opção do sabor do sorvete, ainda assim, se pode ter dificuldade para escolher tomar ou não o sorvete.

Quando precisamos escolher, nossos pensamentos enlouquecem e nos bombardeiam com dúvidas e mais dúvidas.

A explicação é que a escolha não é um movimento só da razão, é da emoção também. Se você tenta buscar uma resposta racional sem ouvir a sua emoção, provavelmente não sairá do lugar.

Para escolher, pergunte à sua razão e à sua emoção qual é a melhor opção naquele momento. Talvez você não encontre uma resposta totalmente coerente, mas pode encontrar uma possibilidade de escolha que atenda tanto à mente como à emoção. Ambas as "partes" terão que abrir mão de alguma necessidade para que a escolha seja feita.

Sinto muito, porém, escolher sem consequência não existe. Querer que todos os resultados sejam favoráveis, sem risco, é ficar eternamente preso em dúvidas.

Aceite as consequências e faça sua escolha a partir da consequência com a qual você se sente mais confortável.

Tatiana Auler

Terapeuta


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Um Pouco de Poesia...


Atrás das orelhas


Ah... Como saber O limite do ser O parar de querer Sem mais o que poder Findo o para onde crescer E o final, afinal, enfim, tecer?

Os passos parar O conflito sanar A lágrima secar As mágoas sarar.

Sem nenhuma lástima Virar e virar a página. Não existe última, Ser Sem Mácula, Antes dízima Máxima!

E se melhor for impossível E uma melhora incabível Sendo este estado o possível Chegado ao que era cabível?


Edna Farias

Professora de Português/Literatura

Revisora de textos

Aprendiz de poeta https://ednamfarias.blogspot.com.br

<