Homens que tem "fobia" de relacionamento.


A masculinidade tóxica é composta por várias ideias completamente erradas, e uma delas é a percepção de que se relacionar, namorar, casar é o fim, é uma prisão. Vou explicar o quanto isso é errado e inclusive denota uma questão psicológica.


A cena é a seguinte: o homem começa a namorar, e os amigos falam "perdemos um soldado". Existem outras versões como "te colocaram a coleira", ou quando o homem vai casar, os amigos falam "olha ai, pegou o bambolê (anel de compromisso) de otário. Para os homens, realmente parece que se relacionar é uma morte, é o fim da liberdade, agora ele estaria indo para a "prisão do relacionamento". Suas liberdades acabarão e ele acabará infeliz.


Isso além de ser uma grande besteira, ainda deixa claro que: homens tem uma ideia errada de liberdade e temos mais uma sequela desse machismo que muitos de nós ainda insistem em defender. O primeiro aspecto da dificuldade dos homens em se relacionar é achar que relacionamento é prisão. Isso demonstra a incapacidade desse homem de negociar suas escolhas individuais com as escolhas do relacionamento. Solteiro não precisa negociar nada.


Você pode fazer o que bem quiser e não precisa negociar, ceder, ouvir o outro, falar o que sente para o outro, considerar o ponto do outro. Estes são exemplos de dinâmicas essenciais para uma relação e que visam um benefício em comum, que é ter uma boa relação, de aprendizado, parceria, companheirismo. Se você escolher se relacionar, você deveria entender que em uma relação não pode imperar apenas a vontade de uma pessoa, e sim um consenso entre a vontade das duas pessoas. Ninguém se relaciona sozinho.


A concepção de que solteiros são felizes é ligeiramente errada. Você vai ver muitos solteiros que estão de fato felizes e tranquilos, e terão solteiros que vivem em aflição, angustiados, cheio de prisões emocionais, vícios e traumas de relacionamentos passados. Assim como existem pessoas que se relacionam e estão na mesma situação de aflição e angustia, e tem pessoas em relacionamentos felizes, tranquilos, potentes e, olhem que impressionante: cheios de liberdade! A ideia de prisão vem do medo de perder a identidade.


Homens pensam que perderão a identidade, desaparecerão. Mas veja, quando homens pensam que vão perder a identidade, eles se referem a não querer abrir mão da impulsividade de seus desejos, seja lá o que for, sexual, de consumo, de risco, etc. Uma das coisas que mais afirmam a masculinidade tóxica masculina é ficar com muitas mulheres, ser homem é estar sempre ativo. Direcionar seu desejo a uma pessoa só é como ir contra ao que é ser homem. E essa ideia só existe por causa de uma concepção errada de masculinidade.


É muito curioso como nós homens achamos coerente trabalhar a vida toda na mesma coisa para atingir um objetivo, mas trabalhar para ter uma boa relação com a mesma pessoa, não é tão atrativo assim. O atrativo para o homem é se relacionar várias e várias vezes e o sucesso é justamente o maior numero de mulheres que conseguir, uma vida dedicada aos impulsos. Sabe que fase da nossa vida que fazemos tudo que queremos sem se importar com as consequências? A infância. É como se estivéssemos presos em uma eterna quinta série.


O homem tem uma concepção de que se relacionar é perder tempo e que ele estaria perdendo a possibilidade de escolha, já que homens são criados para ver e tratar mulheres como objeto, é como se relacionamento fosse estar proibido de entrar nesse grande shopping de mulheres, onde nenhuma o satisfaz porque ele tem sempre a impressão de que está perdendo a melhor opção da vitrine Essa insaciabilidade é um problema psicológico, porque é uma incapacidade de ter controle dos seus próprios desejos.


Os caras acham que masculinidade é aventura, tem que estar sempre explorando, é sempre algo que está fora de nós. Quando uma relação pode ser tão aventureira quanto, mas é aqui que mora o problema, é uma aventura muitas vezes interna, dentro de si, e dentro da relação, e nós homens temos grande dificuldade de nos explorar internamente. Muitos problemas nossos residem nos problemas que temos que estão ligados a incapacidade de sentir, de saber o que sente e de expressar.


Precisamos desconstruir essas concepções erradas de masculinidade, conseguir aprofundar em nossas identidades e parar de achar que liberdade é agir feito criança inconsequente. Ninguém é obrigado a se relacionar e muito menos essas dicas farão sua relação durar, escrevo para que entenda que relações podem ser potentes, são livres e nos fazem crescer. Se sua relação é de dominação, onde o ciúmes impera, onde não há liberdade, não é um problema dos relacionamentos, e sim falta de maturidade.


João Luiz Marques

Escritor, pesquisador da psicologia da masculinidade preta e questões raciais

e academicista de psicologia.

10 visualizações0 comentário

Contato

whatsapp-cinza.png

Navegação

© Instituto de Treinamento Auler Ltda. | CNPJ 25.289.131/0001-61 | Atendimento@institutoauler.com.br | Tel.: (21) 99740-1860. 

Criação Brothers Design