Pensamos demais nas coisas que dão errado.


Nós pensamos demais nas coisas que dão errado e não o suficiente nas que dão certo em nossas vidas. Claro, às vezes faz sentido analisar os acontecimentos ruins para que possamos aprender com eles e evitá-los no futuro. No entanto, as pessoas tendem a passar mais tempo pensando no que é ruim na vida do que no que é útil. Pior ainda, este foco nos acontecimentos negativos nos predispõe à ansiedade e à depressão. Uma forma de evitar que isso aconteça é saborear o que correu bem.

Por sensatos motivos evolutivos, a maioria de nós não tem tanta facilidade em enfatizar os acontecimentos bons quanto temos para analisar os acontecimentos ruins. Aqueles nossos ancestrais que passaram muito tempo deitados ao sol dos bons acontecimentos, quando deveriam estar se preparando para o desastre, não sobreviveram à Era do Gelo. Portanto, para superar a tendência natural e catastrófica de nossos cérebros, precisamos trabalhar e praticar esta habilidade de pensar naquilo que deu certo.

Toda noite, ao longo da próxima semana, reserve dez minutos antes de ir dormir. Escreva três coisas que deram certo hoje e por que deram certo. Você pode usar um diário ou seu computador para escrever sobre os acontecimentos, mas é importante que tenha um registro físico daquilo que

escreveu. Essas três coisas não precisam ser nada de espetacular em termos de importância ("Ao voltar para casa do trabalho, meu marido trouxe meu sorvete preferido para a sobremesa"), mas podem ser importantes ("Minha irmã deu à luz um menino saudável").

Ao lado de cada evento positivo, responda à pergunta: "Por que isso aconteceu?" Por exemplo, se você tiver escrito que seu marido trouxe o sorvete, escreva "porque meu marido às vezes é realmente atencioso" ou "porque me lembrei de telefonar para ele do trabalho e pedir-lhe para parar no supermercado". Ou, se você tiver escrito: "Minha irmã deu à luz um menino saudável", você pode escolher como causa: "Deus estava cuidando dela" ou "Ela fez tudo certo durante sua gravidez".

A princípio, o registro dos acontecimentos positivos em sua vida pode parecer esquisito, mas, por favor, faça-o por uma semana. Vai ficar mais fácil. A probabilidade é que daqui a seis meses você esteja menos deprimido, mais feliz e viciado nesse exercício.

Martin Seligman

Livro: Florescer - Uma nova compreensão da felicidade e do bem-estar


Tatiana Auler

Psicóloga

CRP 05/56969